• dezembro 17, 2018

Firework: a teoria da felicidade

Firework: a teoria da felicidade

Firework: a teoria da felicidade 800 532 Firework

“Quando chamamos alguém pra trabalhar basicamente falamos – confiamos em você.”

A Firework é uma empresa de tecnologia da informação especializada em criar, desenvolver e administrar sistemas. Começou com um stand, um gringo e um rapaz com talento que aceitou trabalhar para uma empresa americana no Brasil.

Completados 5 anos em abril de 2018, a empresa surgiu da necessidade de um dos sócios, Daniel Polito, de trabalhar com outras pessoas e deixar de fazer home office. Após 4 meses sozinho, ficou sócio de Fernando Cobawashi, mais tarde juntou-se com Fernando Hideo e Fabrício Souza e montou a Firework que conhecemos. Hoje, trabalha com 24 colaboradores.

Com o intuito de ser uma empresa diferente das outras, apostaram em um ambiente totalmente descontraído e leve para equilibrar a tensão e as características mais introvertidas do pessoal de TI.

“No começo foi diferente trabalhar aqui pelo choque de culturas. As outras empresas são bem tradicionais e aqui me sinto bem à vontade. Tanto em vestimenta quanto em comportamento, tudo.” Leandro.

Como a empresa começou com foco no público internacional, a dependência da cotação de câmbio era alta. Hoje, após ter se inserido em eventos de informática, semanas de tecnologia das faculdades, conseguiu reconhecimento do público local para fechar projetos.

O que há em comum entre esses sócios é a vontade de mudança.  Manter o espaço profissional descontraído, com harmonia, união entre as pessoas para fazer o horário de trabalho um tempo legal do dia, isso é essencial, já que muitas vezes, os profissionais ficam mais tempo na empresa do que em casa.

“Unir essa informalidade com ótimos profissionais tecnicamente falando torna uma empresa em um ambiente descontraído, qualidade de projetos e entrega muito alta. Cada um com seu senso de responsabilidade, senso crítico e bom senso, claro.” Hideo.

Para Daniel, fundador da Fire, o mais importante não é crescer. A prioridade é melhorar o que se tem para aumentar quando for preciso. A teoria da felicidade, segundo ele, consiste em qualidade de vida. Tornar a empresa o mais informal possível para criar memórias que perdurem nas pessoas, além de ser um local de trabalho.

Para uma empresa que começou na casa da sogra e foi crescendo um passo por vez, a Firework é um exemplo de superação e trabalho em equipe.


Quer saber mais? Venha tomar um café com a gente!

Deixe um Comentário

Join our Newsletter

We'll send you newsletters with news, tips & tricks. No spams here.

[contact-form-7 404 "Not Found"]